Projeto Heritage 4.0: Do Acesso ao Arquivo Semântico através de Itinerários Vivenciais
A sexta geração do Heritage! 

Imagem de IA

Sonhei que conseguiria sobreviver até terminar aquele pequeno projeto que comecei há cerca de três décadas. Então, num lampejo de “gênio ingênuo”, decidi expandir o projeto para que pudesse durar pelo menos mais quarenta anos. E, se a burocracia funcionar a meu favor, talvez até consiga aquelas “prorrogações de vinte anos”, típicas dos contratos públicos (mesmo que valha esclarecer que o projecto, além de não ter fins lucrativos, não envolve o utilização de fundos públicos). Ironia à parte, sei que provavelmente não verei o fim do projeto, mas quem se importa, o verdadeiro objetivo não é “viver enquanto morre”, mas “morrer enquanto vive”. 

Aqui está, então, a nova versão do meu projeto que agora se chama "Heritage 4.0"

Fases do Projeto Heritage 4.0 (resumo)

  1. Arquivo do Patrimônio 3.0: Lançamento do primeiro Multiarquivo do Património Cultural "Património", composto por uma centena de arquivos temáticos e territoriais integrados entre si contendo os bens do Património Cultural Material e Imaterial da Sicília e Malta. Esta fase, iniciada em 1995, conduziu atualmente à catalogação e georreferenciação de mais de 13.000 mil bens culturais tangíveis e intangíveis.
  2. Arquivo Heritage 3.0 Plus: Esta atividade, iniciada em 2020, está atualmente em desenvolvimento e implementação
    • Guias de áudio: Integração de guias de áudio
    • Mídia de vídeo: Integrações de vídeos de mídias sociais (Youtube)
    • QR-Code: Inserção de QR-Code nos cartões de arquivo 
    • Criações de mini-guias para download criadas com QR-Code.
    • “Arquivo QR para Navegação Acessível”: Criação de QR-Codes para cegos. Esses códigos, uma vez escaneados, levam a páginas da web com conteúdo de áudio específico 
  3. Caminhos Antigos e itinerários históricos da Sicília: Integração do Arquivo com o projeto “Caminhos antigos e itinerários históricos da Sicília”. Fase iniciada em 2020 e em constante evolução.
  4. Itinerários experienciais: Desenvolvimento de Itinerários Turísticos assentes numa abordagem holística de valorização do território, seguindo os princípios experienciais e de Interpretação do Património. Os primeiros itinerários serão publicados em 2024.
  5. Patrimônio 4.0: Criação de um Arquivo Semântico, que integra o arquivo existente com Inteligência Artificial semântica. Isto permitirá uma melhoria na procura de informação e na geração automática de itinerários holísticos. Será possível consultar o Arquivo do Patrimônio por meio de texto e voz, superando os limites dos metadados atuais (categorias e hashtags). A fase de testes está em andamento, com expectativa de publicação do primeiro protótipo até o final de 2024.

Ignazio Caloggero, sonhador, apesar de tudo. 

Mais algumas palavras sobre o primeiro ponto.

Arquivo do Patrimônio 3.0

As características técnicas do atual arquivo Heritage 3.0:

O Multiarquivo "Património" do Património Cultural é constituído por uma centena de arquivos temáticos e territoriais integrados que contêm os bens do Património Cultural Material e Imaterial da Sicília e de Malta e apresenta as seguintes características típicas da web 3.0:  Multimídia, geoweb, redes sociais, Multitemática e Multiterritorial (Multiarchive), Busca Avançada, WikiWeb e  Multilíngue.  

O Arquivo do Património, resultado de mais de trinta anos de recolha de dados, é um arquivo público sem fins lucrativos e a sua natureza é exclusivamente informativa e científica. Neste momento (outubro de 2023), com os seus mais de 13.000 bens catalogados, é provavelmente o maior arquivo multimédia cultural de nova geração criado. 

  • Multimídia: Cartões contendo texto, imagens, áudio e vídeo e, portanto, com a possibilidade de inserir também guia de áudio, guia de vídeo e outros documentos multimídia para mais informações
  • GeoWeb: Informações sobre mapas interativos georreferenciados do Google, localização e identificação do caminho para chegar ao imóvel (quando pertinente). Alguns ativos também são visíveis no Street view, portanto, com uma visão de 360 ​​° do contexto em que o ativo está localizado.
  • redes sociais: Cartões interativos com possibilidade de inserir comentários, experiências. votando, comentando e compartilhando em várias redes sociais.
  • Multitemática e Multiterritorial (Multiarchive): O arquivo permite a visualização em páginas web de arquivos temáticos e/ou territoriais únicos (integrados entre si). Ao atribuir novas categorias e tags é possível criar um número ilimitado de subarquivos temáticos e territoriais.
  • Pesquisa avançadapor palavras-chave, frases (texto completo), cidades, lugares, localizações ou áreas geográficas escolhidas pelo usuário, localização física do usuário, categorias, subcategorias e tags
  • WikiWeb: possibilidade de gestão autônoma dos cartões pelos próprios autores ou colaboradores
  • Multilíngue: o inovador sistema de tradução automática neural é usado.

Abaixo está uma lista não exaustiva dos principais arquivos que podem ser visualizados de forma independente:

Área de Patrimônio Material

Área de Patrimônio Imaterial

Arquivos Territoriais 

Em todos os arquivos territoriais provinciais existe um filtro que permite visualizar os bens de cada município e categorias individuais de bens 

Para visitar o arquivo 3.0: Herança de vários arquivos 3.0  

 

Nota sobre as gerações do Arquivo do Patrimônio

  • Primeira geração (1995): banco de dados de “acesso” offline apenas
  • Segunda geração (2004): banco de dados “Web Access” pesquisável online, somente texto
  • Terceira geração (2010): banco de dados “visual” em Mysql, pesquisável online - texto e imagens
  • Quarta Geração (2014): Banco de dados dedicado pesquisável Online integrado com Google Maps e com tecnologia web 3.0 (Georreferenciado, Responsivo, Wiki, Pesquisa avançada)
  • Quinta geração (2020): Arquivo "GeoSocial" online (georreferenciado, social, multitemático, territorial, pesquisa avançada)
  • Sexta Geração (2024?): Arquivo Semântico com busca de informações e geração automática de itinerários holísticos através do uso de Inteligência Artificial semântica.  
Compartilhe compartilhe
Partilhar
Partilhar